Qual a diferença entre um curso técnico e um curso profissionalizante?

Melhorar a sua qualificação profissional é necessário para se manter em alta no mercado de trabalho, por isso, quem precisa de uma boa formação em pouco tempo acaba optando por cursos técnicos e profissionalizante. Mas afinal, qual é a diferença entre os dois? Entenda a seguir como ambos funcionam e qual a diferença entre eles:

Curso Técnico

A modalidade técnica se assemelha muito à profissionalizante, mas para quem quer começar um dos cursos em breve a saber os pontos divergentes pode fazer toda a diferença. Muita gente acaba confundindo os dois, portanto, entenda mais sobre o curso técnico antes de começar uma formação.

Uma das maiores diferenças entre os cursos é quanto a avaliação do Ministério da Educação (MEC). O curso técnico precisa, necessariamente, ser aprovado pelo órgão. A carga horária desta modalidade também séra superior e o aluno só poderá conseguir o seu certificado após cumprir a carga de aulas estabelecida para cada curso.

A forma de ingresso também é distinta. Há muitas inciativas para quem vai optar por um curso técnico, tais como o Pronatec. O programa oferece diversas bolsas de estudo nas melhores instituições do país. As inscrições no Pronatec devem ser realizadas no prazo, por isso, os interessados devem estar atentos à divulgação de datas.

Além destas propostas, vale lembrar que também há programas direcionados para cada estado como o ETEC e o Faetec. Ambas as inciativas visam melhorar o cenário profissional. Para quem quer escolher um curso em breve, é importante acessar as informações do ETEC e Faetec 2019.

Curso Profissionalizante

Os cursos profissionalizantes têm ficado bastante populares, principalmente para quem precisa se especificar em uma área e começar rápido no mercado de trabalho. Geralmente, esta modalidade de ensino tem um tempo menor que o técnico, indo de 6 meses a 2 anos.

Além da carga horária mais flexível, vale lembrar que a exigência para os estudantes do curso profissionalizantes também é menor. Não é necessário cumprir carga de estágio ou projetos extracurriculares.

Como mencionado, esta modalidade não precisa de aprovação do Ministério da Educação, por isso, as unidades que dispõem do curso profissionalizante estão espalhadas por toda região. Entretanto, em contrapartida, o certificado desta formação não vale para o MEC e não é o mesmo que a emissão do diploma.

O profissionalizante é mais indicado para pessoas que já possuem conhecimento em uma área de atuação e precisam de uma especialização a curto prazo, a fim de melhorar sua qualificação profissional.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *